Defesa de Dayanne Lima recorre ao TRF1 para que fiança seja substituída por medidas cautelares

O advogado Elias Reis revelou com exclusividade na manhã desta segunda-feira (30) no programa LuizMeloEntrevista (DiárioFM 90,9) que está recorrendo ao Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF1) em Brasília para que a fiança de mais de R$ 190 milhões arbitrada pelo juiz Antônio Campelo, da 4ª Vara Federal de Belém (PA) como condição para a liberdade da empresária Dayanne Lima.

A empresária, que foi candidata a vice-prefeita de Macapá nas eleições de 2016, está presa desde o dia 11 de abril no curso da Operação Olho de Tandera, deflagrada pela Polícia Federal, acusada envolvimento com o ex-marido Elton Félix Gobi Lira em um esquema de golpes milionários em institutos de previdência de prefeituras do Amapá e do interior do Pará.

“Quando a Dayanne foi pressa dia 11 do corrente mês entrei com duas medidas liberatórias, um Habeas Corpus (HC) no TRF1, que está na relatoria da doutora Mônica Sifuentes e pedido de revogação prisão junto ao juiz da 4ª Vara Federal de Belém, que decretou a prisão. Inicialmente o juiz negou, mas na própria quinta-feira, no final da tarde a doutora Mônica Sifuentes pediu informações ao juiz no prazo de 48 horas, e não creio que por causa do ofício pedindo informações, na sexta-feira agora ele revogou a prisão, mas entre as cautelares ele arbitrou fiança de cerca de 190 mil reais”, finalizando:

– Hoje estou entrando com pedido de reconsideração, pedindo ao juiz que ele arbitre de forma razoável para que a família possa pagar. Também estou entrando com pedido à doutora Mônica Sifuentes para que substitua a fiança por outras cautelaress porque no momento ela não conseguiria pagar essa fiança.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo