CONTAGEM REGRESSIVA

CLEBER BARBOSA EDITOR DE TURISMO

Durante muito tempo os amapaenses não se referiam ao mês de julho como o das férias escolares, mas sim a época do Macapá Verão. Era uma das mais tradicionais programações culturais da cidade, responsável por trazer de volta à cidade os jovens acadêmicos que deixavam a cidade nos anos 70 e 80, para estudar fora. E toda essa tradição está de volta. Tudo bem que agora a capital tem inúmeras opções de ensino superior e os estudantes já não viajam mais com aquela frequência, mas ainda é um ponto de convergência para crianças, jovens e adultos nos principais balneários da cidade – e do interior.


Interior Araxá, Canal do Jandiá e Curiaú, além dos distritos da zona rural do município, como São Joaquim do Pacuí e Maruanum, também recebem os veranistas. O Macapá Verão conta ainda com ordenamento do trânsito, reforço nos transportes coletivos, segurança com guarda municipal e reforço nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Atividades esportivas e feiras de artesanato também estão na programação. O Macapá Verão não deixa de ser ainda um impulsionador do turismo interno, fazendo com que as pessoas permaneçam no estado e não busquem outras “praias”, literalmente, esvaziando a cidade.

Semana Além da programação aos domingos, as atrações culturais também vão se apresentar às quintas-feiras, a partir das 14 horas, no balneário da Fazendinha, em três edições do projeto lançado ainda em 2015 como grande sucesso, denominado “Estação Lunar”. Sérgio Lemos, da coordenação, diz que é uma programação também familiar. “Todas as prestações de serviço são para poder acolher a movimentação de pessoas nos balneários”, diz o representante da Prefeitura de Macapá, atual secretário de Gabinete Civil.

Abertas inscrições para ação de artistas locais


Documentação – Marina Beckman, diretora-presidente da Fundação Municipal de Cultura (Fumcult), órgão responsável pelo processo de implementação do edital e contratações, chama atenção dos artistas interessados para as datas referentes ao processo. “É importante que os artistas se organizem com antecedência, verifiquem toda a documentação exigida no edital, tirem dúvidas antecipadamente e não deixem para cima da hora. E participem das atividades formativas, que serão ofertadas por técnicos da Fundação de Cultura”, diz.

Os encantos da praia da Fazendinha mesmo fora do calendário


Na Fazendinha foi sempre assim. E as atrações em paralelo é que são muitas. Das coloridas pipas até o futebol, o vôlei, passando pela azaração entre os jovens, como a vida noturna, um tanto quanto família. Da gastronomia, pode-se destacar o peixe sempre fresquinho, assado, frito ou cozido, como também o famoso camarão, no bafo, na panela ou no espeto. Mas gerações de amapaenses cresceram indo ao balneário literalmente para chupar cana-de-açúcar. Os barqueiros trazem fardos dela para a praia e vendem bastante.

Atração Fazendinha não é mais um bairro, mas sim um distrito do município, com pujança econômica e também até para a política, mas também é onde está instalado o Parque de Exposições, onde acontecia anualmente a Expofeira. De qualquer forma, a fama vem da praia que dá nome ao lugar. Ou vice-versa. Localizada a 16 Km de Macapá, banhada pelo rio Amazonas, oferece aos banhistas uma bela paisagem, uma rede de bares e restaurantes com os mais variados pratos típicos da região. Em uma rede social, Beatriz Neves descreveu a praia assim: “Lindo pôr-do-sol!!! Camarão no bafo maravilhoso!!!”

CURIOSIDADES

– Teatro, poesia, música e dança abrilhantam a programação desse domingo nos quatro balneários da cidade. – Nos domingos, acontece a já tradicional programação do Macapá Verão nos quatro principais balneários da cidade (Fazendinha, Araxá, Jandiá e Curiaú), com programação cultural atendendo todos os gostos e tribos. 1975 Este foi o primeiro Macapá Verão da História, segundo os mais antigos, na gestão de Cleiton Figueiredo à frente da Prefeitura de Macapá.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo