Bruno Igreja diz que denúncia de manipulação na eleição da federação de Taekwondo ‘não tem cabimento

O presidente em exercício da Federação Amapaense de Taekwondo, Bruno Igreja, desqualificou nesta quinta-feira (24) no programa LuizMeloEntrevista (DiárioFM 90,9) informações que circulam nas redes sociais de que o mesmo estaria manipulando as eleições da entidade para favorecer uma chapa. Segundo ele, a acusação parte do ex-presidente Alcinei Maciel, que renunciou ao cargo sem apresentar qualquer justificativa.

“O vereador e ex-presidente da federação, vereador Alcinei Maciel, renunciou  ao cargo no dia 8 deste mês, junto com o vice, sem dar nenhuma explicação sobre a razão da renúncia, apenas apresentaram a carta. Na vacância , assumiria o diretor administrativo, que é o presidente da Confederação Brasileira, e por isso renunciou o ano passado, e na falta dele quem assume é o diretor técnico, que sou eu, e tenho o prazo de 60 dias para fazer a eleição”.

Igreja negou que esteja favorecendo algum candidato: “Não sei o real motivo da renúncia do ex-presidente, mas ao deixar o cargo ele não me repassou nenhum documento da federação, nem mesmo o estatuto, e causa estranheza que estou sendo acusado de fraudar eleição para favorecer candidato ‘a’ ou ‘b’. No dia 9 deste mês eu fiz uma carta comunicando a confederação sobre as renúncias e anunciando que eu havia assumindo a presidência, já encaminhando junto o edital que lancei para a eleição”.

Perguntado sobre o motivo da alteração de data para o pleito, Bruno Igreja justificou: “O campeonato amapaense já estava com o calendário pronto, e o Brasileiro vai começar no dia 8 de junho. Por conta disso, lancei um novo edital adiando o prazo para o dia 26, mas a Confederação me informou que eu não poderia mais mudar a data, aí eu segui a orientação da assessoria jurídica e mantive o primeiro edital”.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo