Barca das Letras comemora dez anos de incentivo à leitura

A Biblioteca Itinerante Infantil Barca das Letras nasceu em abril de 2008, idealizada pelo amapaense Jonas Banhos, com o objetivo de democratizar o acesso ao livro, leitura, literatura às crianças que vivem em comunidades ribeirinhas, quilombolas e indígenas do Amapá e Pará, inicialmente. Os locais por onde circula a biblioteca são comunidades isoladas, às margens de rios, igarapés, lagos, lagoas, aonde dificilmente o livro chega. É lá que os voluntários da Barca das Letras mais gostam de ir, pois são nestes lugares que vivem as pessoas que, com seu modo tradicional e originário de vida, mais respeitam e protegem a mãe natureza. “São pessoas que têm uma relação muito espiritual e especial com a floresta, com a água, com os animais, pois sabem que todos fazemos parte de um só ser vivo, a mãe Terra” destaca Jonas.

A Barca das Letras vem distribuindo milhares de livros infantis e gibis nestes dez anos de circulação, para motivar crianças que moram à beira do rio Amazonas e seus afluentes, a criar o saudável hábito da leitura. Mensalmente são organizadas expedições rumo às comunidades. Cerca de dez voluntários se unem para promover uma ocupação lúdica e colorida de incentivo à leitura, com duração de quatro a seis horas, em cada comunidade vivenciada. Durante esse período, as crianças são motivadas a: montar a biblioteca, cuidar do espaço, ter contato direto com os livros levados, recitar poesias, ler livros, assistir espetáculo circense/teatral, ouvir e contar histórias, pintar/desenhar, ver exposição fotográfica, assistir cinema animado, participar das apresentações de grupos culturais da própria comunidade. E, ao final, todas são presenteadas com livros e gibis que podem levar para suas casas.


Na manhã de 26 de maio(sábado), a Barca das Letras vai comemorar o aniversário de dez anos de incentivo à leitura com distribuição de livros e gibis, além de rodas de leitura e exposição fotográfica das ações da biblioteca. O evento ocorre na sede da Associação de Mulheres Ribeirinhas e Vítimas de Escalpelamento da Amazônia, localizada na Praça Zagury 279, Perpetuo Socorro, das 9h às 12h.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo