Antecipação dos 50% do 13º salário do funcionalismo estadual aquece o comércio

A antecipação dos 50% do 13º salário do funcionalismo público estadual feita nesta quarta-feira, 20, pelo Governo do Amapá injetou em torno de R$ 84,1 milhões na economia local. O montante já aquece as vendas do comércio, principalmente, por conta do período de festas juninas, Copa do Mundo e férias.

Os lojistas prepararam seus estoques com adereços de verde amarelo para os torcedores assistirem os jogos da seleção brasileira. E com materiais utilizados por brincantes de festas juninas, seja para festivais de quadrilha, ou para eventos de rua e em instituições privadas e públicas que, também costumam reunir seus funcionários para uma espécie de confraternização aproveitando o período, com a temática junina. São roupas, calçados, confecções e acessórios da moda caipira. Tudo para atrair os clientes que buscam esse tipo de produto.

O empresário José Luiz Farias, 51 anos, proprietário de um dos estabelecimentos mais antigos do Centro de Macapá, há 35 anos trabalha com produtos de armarinhos e de festas de época, como carnaval, festa junina, natal e, a cada quatro anos, aproveita o período para renovar o estoque com acessórios da Copa do Mundo. Confiante, ele espera aumentar as vendas agora que saiu a antecipação do 13º do funcionalismo público.


Quem aproveitou as ofertas dos produtos temáticos da Copa do Mundo foi a autônoma Ediene Ferreira, 33 anos. Gravida do sétimo mês, ela mora no bairro Jesus de Nazaré, em Macapá, e foi até o centro da cidade comprar materiais para o chá de bebê e fraudas, além de acessórios para enfeitar a casa dela para o próximo jogo da seleção brasileira que ocorrerá na sexta-feira, 22, às 9h, horário de Brasília.


Entre os três que apresentaram aumento, o Amapá indicou um crescimento de 1,2% nas vendas de abril, Rondônia mostrou 2,8% e o Pará 0,1%. Os outros estados da Amazônia apresentaram baixa, no Amazonas houve uma queda de 8,5%, Roraima 3,8%, Acre 3,6% e Tocantins 0,2%.

Cenário Diante da crise que afetou o país, desde 2015, muitos estados maiores da federação, não estão conseguindo pagar os salários do funcionalismo público. O Rio de Janeiro, por exemplo, que tem uma economia muito maior que a do Amapá, só pagou este ano, a segunda parcela do 13º de 2017. Minas Gerais foi outro estado que atrasou o pagamento do 13º no ano passado. A dívida com os trabalhadores só foi quitada em abril de 2018, mesmo assim, dividida em quatro parcelas.

O Amapá é um dos poucos estados que têm conseguido pagar os salários em dia e já garantiu o depósito da primeira parcela do 13º em junho. Segundo o Conselho Nacional de Secretários de Estado da Administração (Consad), até o momento, além do Amapá, somente o Pará, Paraná e Goiás, declararam que irão antecipar a metade do 13º salário.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo