Antônio Nogueira afirma que vai cumprir ordem de prisão, mas diz que condenação é injusta e que vai

O presidente regional do PT no Amapá, ex-prefeito de Santana e ex-deputado federal Antônio Nogueira, que está em São Paulo (SP), afirmou na manhã desta quinta-feira, por telefone, no programa LuizMeloEntrevista (DiárioFM 90,9) que recebeu com serenidade a notícia da determinação do presidente do Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap) para que ele inicie o cumprimento imediato da pena em regime aberto, juntamente com seu irmão, o ex-deputado José Luiz e outros cinco réus condenados na ação que ficou conhecida como “as carteiras do Nogueira” e disse que vai cumprir a ordem judicial, mas vai recorrer da decisão.

“Nós vamos cumprir a ordem judicial, logicamente, já que é coisa julgada, mas eu sempre digo que tenho a consciência muito tranquila porque sou inocente, e vamos entrar com outra ação, que está sendo analisada pelos meus advogados. Independentemente disso, porém, assim que sair a ordem eu vou me apresentar para o cumprimento dessa sentença, que é muito injusta, na verdade é uma questão muito parecida com a do Lula, porque fui condenado sem provas, porque para me incriminar me colocaram até como diretor do Detran (Departamento Estadual de Trânsito), quando na época eu era vereador em Santana; fazem mais de 15 anos; eu nunca indiquei ninguém para o Detran e a coisa até virou chacota, tanto que até hoje quando alguém faz uma barbeiragem no trânsito, dizem que “é carteira do Nogueira”. Mas nós vamos enfrentar tudo isso, irresignado certamente, mas vamos cumprir, trabalhando durante o dia com limitações à noite, e não deixarei de lutar contra injustiças, em favor dos menos favorecidos e pela democracia – pontuou.

Candidatura de Lula Nogueira revelou que em reunião que acontece nesta quinta, em São Paulo, a cúpula do PT e entidades sindicais ligadas ao partido vão avaliar o cenário político nacional: “Acontece hoje uma reunião com todos os presidentes regionais e representantes da CUT (Central Única dos Trabalhadores) e demais centrais sindicais, para discutirmos o momento, o cenário político atual, para podermos fazer os encaminhamentos necessários”.

Perguntado se com a manutenção da condenação do Lula, o PT pode passar a considerar um ‘Plano B’, Nogueira descartou essa possibilidade: “Uma coisa é clara, o Lula vai ser candidato, ele é uma representação da democracia, e isso tudo que está acontecendo serve de combustível para nós. A militância não vai dispersar, nunca fugiu, não fugirá e está aguardando o comando para continuar lutando pela democracia, cada vez mais forte. Não apenas pelo Lula, mas pela democracia brasileira nós vamos continuar firmes”.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo