Amapá tem o maior número de representantes na diretoria do Parlamento Amazônico

A deputada estadual Edna Auzier (PSD) ficou com a segunda vice-presidência do Parlamento Amazônico. A presidência ficou com o deputado estadual Wellington do Curso (PP/MA), em substituição ao deputado Coronel Chagas (PRTB/RR). A eleição para o biênio 2018/2019 aconteceu na manhã desta sexta-feira (11), dentro da programação da XXII Conferência Nacional dos Legisladores e Legislativos, em Gramado, no Rio Grande do Sul.

O Amapá ainda ocupará a Terceira Secretaria com o deputado Jory Oeiras (DC) e mais três representantes na Secretaria Institucional, com as deputadas Raimunda Beirão (PMB), Cristina Almeida (PSB), além do deputado Max da AABB (SD). É a primeira vez que o Amapá terá o maior número de representantes na diretoria do Parlamento Amazônico, cinco ao todo.

“Isso representa a força que o nosso Parlamento tem, a expressão e a participação ativa em todas as discussões promovidas pela instituição na luta pelo avanço de políticas públicas para os estados que compõem a Amazônia Legal”, disse Jory Oeiras.

Logo após a posse dos novos diretores, foi aprovada a realização de um amplo debate, no estado do Maranhão – ainda sem data definida, com os presidenciáveis, senadores e deputados federais, para que tenham conhecimento das problemáticas de cada um dos nove estados que compõem o Parlamento Amazônico e para que possam apresentar suas propostas para o Norte do país. A proposta conjunta foi apresentada pelos deputados Charles Marques e Joaquim Ruiz (PTN/RR).


Outra investida dos novos integrantes será buscar, também, junto à Unale, um espaço para que o Parlamento Amazônico possa ter uma representação em Brasília (DF). A iniciativa é proporcionar aos deputados condições para que possam desenvolver suas atividades na capital federal. A nova diretoria também já é direcionada às ações para a questão das cidades gêmeas de fronteira. O Norte conta com dez cidades das 32 beneficiadas com a publicação da Instrução Normativa para a instalação de free-shops, em março deste ano. No Amapá, a cidade de Oiapoque foi a contemplada.

“Agora, é trabalhar junto ao governo para que possam ser feitos os estudos necessários para saber qual a possibilidade de haver uma redução na alíquota do ICMS para tornar a cidade de Oiapoque, no Norte do estado, atrativa tanto para os novos investidores quanto para os próprios empresários que residem no município”, argumenta a deputada Janete Tavares (PPS).

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo