Advogado protesta contra manutenção de prisões e entra com HC em Brasília em busca da liberdade de A

O advogado Maurício Pereira disse na manhã desta segunda-feira (09) no programa LuizMeloEntrevista (DiárioFM 90,9) que está impetrando pedido de Habeas Corpus (HC) junto ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), em Brasília, para viabilizar a liberdade de Antônio Feijão e Badú Picanço, que foi negada pelo juiz federal Anselmo Gonçalves, que também responde pela Vara Federal de Oiapoque porque, no entendimento dele, o argumento usado pelo juiz não se sustenta. Os ex-deputados federais são os únicos que permanecem presos no contexto da Operação ‘Garimpeiros da Propina’, da ‘Operação Minamata’.

“Na noite da última sexta-feira (06) tivemos uma decisão do doutor Anselmo Gonçalves revogando a prisão do senhor Tiago Justa e até nos surpreendeu a decisão do juiz mantendo as prisões do doutor Antônio Feijão e do Badu Picanço, porque a fundamentação que ele utilizou para manter essas prisões foram as conversas interceptadas de terceiras pessoas”, finalizando: – Os dois ex-parlamentares jamais conversaram com alguém nesses autos, e faz colocação (na decisão) que vai manter as prisões porque esses investigados têm influencia política, o que nos causou surpresa, porque influencia política não é pressuposta para manter prisão de ninguém. Nós estamos preparando o competente Habeas Corpus para ingressar junto ao TRF da 1ª Região, em Brasília, e ademais, já estamos há 60 dias com os réus presos sem que sequer tenham sido denunciados.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo