A influência da cultura na formação do cidadão

Mais do que uma característica essencial de uma sociedade, a cultura pode ser considerada como o elemento principal que difere uma nação de outra. Os costumes, a música, a arte e, principalmente, o modo de pensar e agir, fazem parte da cultura de um povo e devem ser preservados para que nunca se perca a singularidade do coletivo em questão. A palavra cultura deriva do latim, colere, que tem como significado literal “cultivar”. Partindo desse princípio, percebemos que se trata de uma herança acumulada ao longo dos anos, e que deve ser preservada.

Cada pessoa pertencente a uma determinada nação agrega valores culturais, os quais a levarão a fazer ou expressar-se de forma específica. Esse mecanismo de adaptação é um dos principais elementos da cultura, e torna-se ainda mais importante quando se alia ao fator cumulativo. As modificações que se desenvolveram e que foram trazidas por uma geração passam para a geração seguinte, e se implementam ao melhorar aspectos para futuras gerações.

Durante muito tempo, o termo cultura foi estudado e acabou sendo dividido em algumas categorias: Cultura segundo a Filosofia: trata-se de um conjunto de manifestações humanas, de interpretação pessoal, e que condizem com a realidade. Cultura segundo a Antropologia: o termo deve ser compreendido como uma soma dos padrões aprendidos, e que foram desenvolvidos pelo ser humano. Cultura Popular: associa-se a algo criado por um determinado grupo de pessoas que possuem participação ativa nessa criação. Música, arte e literatura são exemplos que podem ser utilizados.

Por ser um agente forte de identificação pessoal e social, a cultura de um povo se caracteriza como um modelo comportamental, integrando segmentos sociais e gerações à medida que o indivíduo se realiza como pessoa e expande suas potencialidades. Entretanto, é necessário lembrar que essa percepção individual tem grande influência por parte do grupo. As escolhas selecionadas ou valorizadas pelo grupo tendem a ser selecionadas na percepção pessoal.

Além disso, a cultura possui quatro processos que têm participação ativa na influência do indivíduo:

O Agente Cultural: Seja qual for a forma de expressão artística que ele promove, trata-se de alguém que se sente valorizado pelo que é capaz de fazer e, mesmo na velhice, é muitas vezes procurado para transmitir seus conhecimentos aos mais jovens. O Propagador Cultural: É aquele que não cria, mas que valoriza e ajuda a difundir determinados tipos de arte. Muitas vezes, dedica sua vida a esse propósito. Dentro desse grupo, estão incluídos os indivíduos que compram e comercializam produtos culturais. O Espectador Cultural: Grupo formado por pessoas que não criam e nem difundem a arte, mas que são apreciadores do gênero e que se identificam com outros de pensamento semelhante. Um exemplo do gênero e que pode ser citado é a formação dos fã-clubes, que interagem entre si promovendo o ídolo de diversa s maneiras. O Alienado Cultural: Trata-se de alguém ou determinado grupo que denuncia as formas de expressão cultural. Presente muitas vezes em regimes ditatoriais evidencia a exclusão social e oprime movimentos artísticos menos poderosos mas, nem por isso, com menos influência na sociedade. (www.institutofilantropia.org.br).

  1. “Festa do Tambor”

Nome do aniversário do Laguinho, em comemoração aos 73 anos de história do bairro. Neste sábado, 26, às 16h, caminhada pelos campos do Laguinho com cerca de 500 estudantes, e domingo (27), a partir das 9h, no Banco da Amizade ao lado do colégio Azevedo Costa (Gal. Rondon). Artistas de diversos segmentos irão se apresentar.

  1. Livro

O paraense escritor e jornalista Ruy Godinho, está em Macapá colhendo informações e entrevistando artistas do segmento musical, para abastecer seu projeto. Godinho está escrevendo um livro sobre o processo de criação dos compositores tucujus. “Então, Foi Assim?” é o nome do livro e de seu programa de rádio, em Brasília. Previsão de lançamento da obra é em 4 de fevereiro, data do aniversário da cidade de Macapá. A iniciativa foi do prefeito Clécio Luis.

  1. “Orgulho Meu”

Título de um samba do cantor e compositor, Carlos Pirú, em homenagem ao seu bairro querido, o Laguinho. “Orgulho meu que eu canto agora, onde nasci, me criei, laguinho tem muita história”.

  1. “Brasileira”

Nome do show que a cantora paraense Lucinha Bastos, vai realizar dia 1º de junho, no Norte das Águas (Complexo Marlindo Serrano – Araxá), a partir das 22h. Participações especiais: Nonato Leal, Patrícia Bastos e Brenda Melo. Imperdível.

  1. Exposição

Continua até 15 de junho a exposição “Macapá 260 anos (Reminiscência)”, do consagrado artista plástico e designer Ralfe Braga. No restaurante Sagrada Família, na av: Presidente Vargas entre as ruas Gal. Rondon e Tiradentes – Centro.

  1. Prêmio

Programa “O Canto da Amazônia” está concorrendo ao Troféu Imprensa na categoria “Melhor Programa de Cultura e Informação no Rádio”. A votação vai até 30 de maio. Acesse www.tucujudeouro.com.br e vote.

  1. “Norte das Águas”

Nome da nova casa de show em Macapá, às margens do rio Amazonas, no Complexo Marlindo Serrano – Araxá. A boa música popular do Brasil, principalmente a amazônica, são destaques no palco denominado de Nonato Leal.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo